Monthly Archives: outubro 2017

Herpes genital

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível, uma das populares DST’s. Muito comum entre os brasileiros, o seu contágio se dá através do sexo desprotegido, e uma vez com essa doença, não há cura, apenas tratamento.

Neste artigo, explicaremos um pouco mais sobre a herpes genital, como se dá o contágio, quais são os sintomas e como ela pode ser tratada. Se você é homem, e está à procura de informações mais específicas sobre o assunto, vale a pena assistir ao vídeo do canal Urologia Descomplicada:

O contágio do herpes genital

O herpes genital é causado por um vírus chamado herpes simples, que provoca uma infecção acompanhada de úlceras e bolhas na região genital. Comumente, o herpes só é transmitido nos períodos em que a doença está ativa, quando as lesões estão visíveis. No entanto, mesmo em seus períodos de remissão infecciosa, quando não existem feridas ou bolhas visíveis, pode existir a presença do vírus nas secreções genitais, tanto de homens como de mulheres, o que pode causar o contágio.

Sintomas do herpes genital

A grande maioria dos adultos infectados com o vírus do herpes genital não desenvolve a doença e permanece assim sem a manifestação de nenhum sintoma e, em sua grande parte, sequer sabem que estão infectados.

Alguns estudos indicam que aproximadamente 80% dos pacientes contaminados não sentem nenhum sintoma. Já entre os pacientes que desenvolvem os sintomas, é possível dividir o quadro clínico em duas situações, que são:

Infecção primária

A primeira vez que surgem as lesões do herpes genital, após a infecção. Normalmente os sintomas se manifestam entre 3 e 7 dias após a relação sexual, mas em alguns casos pode levar até duas semanas. O sinal mais evidente do herpes genital é o surgimento de bolhas que logo estouram e formam pequenas úlceras. Nesse estágio da doença, as lesões são extremamente dolorosas e causam coceiras. Também podem apresentar outros sintomas como:

  • Febre;
  • Mal-estar;
  • Dores pelo corpo;
  • Linfonodos na região da virilha;
  • Úlceras próximas à saída uretra, que causam intensa dor ao urinar.

Infecção recorrente

Depois da infecção primária, as lesões do herpes genital permanecem silenciosas por meses. Na maior parte dos pacientes a infecção surge de tempos em tempos, e em alguns casos mais de uma vez por ano. Mais da metade dos pacientes apresentam a primeira recorrência em 18 meses após a primeira infecção. Nesses casos, as lesões costumam ser menos doloridas, e duram em média 10 dias. Nesses casos não é comum que haja outros sintomas além das bolhas e úlceras.

Tratamento do herpes genital

O herpes genital é uma doença que possui um tratamento para seu controle, mas não para a sua cura. Uma vez infectado, o vírus ficará no organismo da pessoa por toda a sua vida, podendo se manifestar de tempos em tempos, com sintomas recorrentes infecciosos ou não.

Com o passar dos anos, as recorrências ficam menos frequentes e mais fracas, mas o vírus permanece vivo. Hoje porém existem alguns especialistas que dizem ser possível eliminar o Herpes, como a Alessandra Soares do Protocolo Definitivo Para Acabar com Herpes, muitas pessoas afirmaram ter resultados positivos com este tratamento, mas apesar disso o melhor remédio é a prevenção, por isso, o uso da camisinha é imprescindível na proteção e diminuição do risco de contágio, mesmo não o eliminando completamente.


Dicas para não broxar

A impotência sexual tem atingido homens em diversas idades, inclusive os mais novos. Homens de 20 a 30 anos não estão imunes a esse problema, eles inclusive têm cada vez mais sido vítimas da temível ‘broxada’.

As causas e tratamentos para esse problema são muitas, mas separamos algumas que são as principais para que você entenda melhor esse problema e consiga encontrar uma solução mais adequada.

Porque isso acontece?

Se você é jovem, muito provavelmente andou ‘broxando’ por questões psicológicas, emocionais ou desgaste físico. Logo não há muito com o que se preocupar. No vídeo no Canal SeLoko, você pode ver algumas dicas de como não sofrer mais com isso.

Mas se você tem pressa continue lendo este artigo.

Dicas para não broxar

Se você não quer passar pelo constrangimento de procurar um médico e ter que contar sobre o ocorrido, não se preocupe, você pode usar o Power Blue, caso ache que está com algum problema físico, para os outros casos temos 10 dicas que lhe ajudaram a evitar que isso aconteça de novo. Dê uma olhada:

  1. Diminua a masturbação e os pornôs – isso aumenta a sensibilidade do pênis.
  2. Preservativo dentro do clima – colocar a camisinha pode acabar cortando o clima, então faça na hora certa. Não pare os estímulos, isso pode ajudar a manter a sensualidade e ereção.
  3. Evite lugares inseguros – um homem nervoso ou ansioso não consegue manter uma ereção, as vezes sequer consegue ter uma. Por isso, escolha locais seguros sem riscos.
  4. Diminua o uso de álcool e cigarro – ambos são nocivos a sua saúde e para ereção, podendo comprometer o desempenho sexual.
  5. Não apressar a penetração – se o pênis não estiver totalmente ereto, a penetração não vai mudar isso. Às vezes até piora. Então, continue com os estímulos até ele estar totalmente duro.
  6. Foque nas sensações e não no pênis – a paranoia para saber se o pênis está ereto pode causar tensão, que só piora a situação. Por isso, esqueça um pouco disso e foque no prazer.
  7. Se não estiver tão a fim, adie a transa – não adianta ter pressa, se você não está no clima, não se forçar.
  8. Sempre converse – se rolar a broxada mais uma vez, não sofra tanto, não é o fim do mundo. Converse com a sua parceira e explique o que aconteceu.
  9. Se não relaxar, desista – se você não consegue relaxar ou mesmo se excitar. Não insista, converse com a parceira.
  10. Tente novos estímulos – se rolar de novo, procure outros estímulos. Esqueça a fixação para levantar o pênis a qualquer custo, tente novos caminhos de excitação que realmente podem funcionar.